Agência BR - Feirantes buscam alternativas para abastecimento após alagamentos em SP

Feirantes buscam alternativas para abastecimento após alagamentos em SP

Últimas notícias -

Após fortes chuvas na cidade de São Paulo na segunda-feira (10), feirantes sofrem com falta de alimentos devido ao alagamento que atingiu o Ceagesp.

O feirante Osmar Fernandes, 70, estava nesta terça na praça Charles Miller em frente ao estádio do Pacaembu, na zona este da capital. Para ter produtos à venda, precisou se abastecer na região do Mercado Municipal de São Paulo.

As segundas-feiras são importantes para os feirantes porque são os dias em que se abastecem para a semana.

A previsão de Fernandes, que trabalha há 55 anos na venda de frutas, sempre de terça a sábado, é que a situação se normalize só dentro de 10 ou 15 dias.

Feira na praça Charles Miller, na região do Pacaembu, estava vazia pela manhã; Osmar Fernandes, que vende frutas, comprou sua mercadoria no Mercadão, onde pagou valores mais altos que o comum e montou a barraca com bem menos opções que o normal - Bruno Santos/Folhapress

Assim como a barraca dele, a feira estava bem esvaziada, e os clientes eram escassos. “Comprei pouquinho sabendo que isso ia acontecer. Tenho que trabalhar para pagar o dinheiro dos meus funcionários”, conta o feirante, que emprega cinco pessoas.

Lilian Kim, proprietária do bar e restaurante Kraut, na Vila Buarque, conta que precisou abastecer o restaurante para o almoço desta terça comprando nos sacolões da região. A entrega da Ceagesp desta terça não ocorreu.

"Com certeza o gasto será muito maior, mas não temos valores ainda", diz. Segundo a proprietária, o valor não será repassado aos clientes. "Haverá aumento, mas o preço não será só por causa disso, tem outros fatores que vão influenciar a subida de preço", diz.?

Outro problema foi a falta de coleta de lixo do restaurante, que é particular. "Cheguei e estava tudo aqui", acrescenta.

 

A Ceagesp, maior central de abastecimento de alimentos da América Latina e terceira maior do mundo, e que fica próximo à confluência dos rios Tietê e Pinheiros, foi alagada na segunda, causando perda de alimentos que poderá se reverter em falta de produtos nos próximos dias. Há risco de que o desabastecimento tenha impacto sobre os preços dos alimentos.

Na manhã desta terça (11), feirantes registraram a sujeira do local. Em nota, a Ceagesp informou que ainda não é possível estimar o prejuízo causado com a perda de mercadoria, nem dizer se haverá aumento de preços em decorrência do que aconteceu.

Todos os alimentos foram descartados por risco de contaminação.

A Ceagesp informou ainda que o nível de água no local baixou e que na manhã desta terça a maior parte do entreposto já estava em níveis aceitáveis, o que permitiu que equipes de manutenção pudessem iniciar o processo de limpeza dos boxes.

Na noite de segunda, a Ceagesp informou que as feiras de pescados e flores não iriam funcionar na madrugada desta terça.


Fonte: Com Agências