Após morte de cão, Latam diz ter obedecido normas de segurança

Em nova nota divulgada nessa terça-feira (21/9), a companhia aérea Latam Airlines Brasil afirmou se sensibilizar com a morte de um cachorro da raça golden retriever, durante o trajeto São Paulo-Rio de Janeiro, e afirmou obedecer às mais restritas normas de segurança para transportes de pets, afastando-se da responsabilização pelo óbito do animal.

“A companhia reitera que a segurança é um valor inegociável, reforçando que se solidariza com a tristeza vivida pela cliente e que fará tudo que está ao seu alcance para oferecer a assistência necessária neste momento”, afirmou a companhia.

A estudante carioca Gabriela Duque Rasseli, de 24 anos, vive desde a última terça (14/9) a dor de ter perdido seu cãozinho de estimação. O animal morreu, segundo a dona, horas após chegar muito debilitado de um voo da Latam. “Deixaram meu cachorro no calor, quando ele chegou pra mim já estava quase morto! Eu e minha família estamos devastados”, escreveu ela, em uma rede social.

Veja post:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Gabriela Duque Rasseli (@gabid_r)

Leia a íntegra da nota da Latam:

“Nós da Latam nos sensibilizamos muito com o que aconteceu e estamos em contato com a cliente Gabriela desde o desembarque do animal, prestando toda assistência necessária até o momento presente.

A empresa esclarece ainda que seguiu todos os procedimentos de aceitação e transporte do pet que atendem rigorosamente aos regulamentos de autoridades nacionais e internacionais.

Desde o embarque no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), o pet foi acompanhado de acordo com os mais rígidos protocolos de segurança, aguardando em ambiente refrigerado até a entrada na aeronave e permanecendo hidratado ao longo do trajeto.

Logo após o pouso, ainda dentro do kennel (caixa de transporte), a nossa equipe do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão) identificou que o animal encontrava-se com sinais de mal-estar e, imediatamente, atuou para que ele fosse transportado a uma clínica veterinária em uma van dedicada e em tempo mais rápido do que o padrão para esta operação. Vale ressaltar que, da pista do aeroporto até o terminal de cargas, são 7,5 km e o trajeto deve ser percorrido em até 20 km/h.

Reforçamos que o pet não foi exposto ao sol ou passou calor e, que, nossa equipe esteve junto dele e de sua tutora durante todo o atendimento, e se manteve disponível via telefone inclusive após a internação do pet.

Esclarecemos que a Latam obedece às mais restritas normas de segurança para transportes de pets, seguindo procedimentos baseados no Regulamento de Animais Vivos da IATA e tendo protocolos ainda mais rígidos que a portaria 93 do Ibama, garantindo uma execução segura em todas as etapas do processo de transporte. Salientamos ainda que a operação ocorreu respeitando os intervalos de tempo seguros desde a entrega do pet à equipe da Latam, inclusive após o desembarque.

A companhia reitera que a segurança é um valor inegociável, reforçando que se solidariza com a tristeza vivida pela cliente e que fará tudo que está ao seu alcance para oferecer a assistência necessária neste momento. A Latam permanece em contato com a Gabriela, que sinaliza compreensão quanto ao posicionamento e procedimentos adotados pela companhia”.

O post Após morte de cão, Latam diz ter obedecido normas de segurança apareceu primeiro em Metrópoles.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.