Só um fica preso entre os 5 flagrados em ‘central de distribuição de drogas’ onde havia sete crianças


O grupo passou por audiência de custódia nesta quarta-feira (22) e só ficou na cadeia o homem de 40 anos que era fugitivo do sistema prisional de Mato Grosso do Sul. Entre as drogas, sete crianças foram encontradas, em centro de distribuição de entorpecentes.
TV Morena/Reprodução
Entre os cinco adultos flagrados em um imóvel que funcionava, segundo a polícia, como central de distribuição de drogas, em Campo Grande, somente um deles teve a prisão preventiva decretada. No local havia também sete crianças, uma deles um bebê de 20 dias, filhos de um dos casais. Todos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas terça-feira (22), passaram por audiência de custódia e quatro tiveram a liberdade provisória concedida.
Conforme a Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar), a quadrilha atuava em um centro de distribuições de drogas, no local foram apreendidos tabletes de maconha, pasta base de cocaína e balanças de precisão. Porções de drogas também eram estocadas para distribuição a reeducandos do sistema prisional. A quantidade não foi divulgada.
“Na residência do casal onde funcionava o centro de distribuição havia um recém-nascido e mais seis crianças. Nós tomamos todos os cuidados, inclusive o bebê está sendo amamentado. Infelizmente estão em situação de flagrante e delito, praticando tráfico de drogas. Chamamos a mãe da mulher presa, fizemos a entrega da criança para ela. A própria delegacia levou as outras crianças para parentes próximo”, detalhou o delegado Hoffman D’ávila.
O delegado explicou que o centro de distribuição, além de armazenar os entorpecentes, fazia a distribuição das drogas por meio dos chamados “aviõezinhos” – pessoas que transportam pequenas quantidades de ilícitos.
Somente o homem de 40 anos permaneceu preso. Ele tem condenações por três homicídios, que somam 60 anos, e estava foragido do regime semiaberto desde junho de 2020. A companheira dele, outras duas mulheres e ainda um outro homem, tiveram a liberdade provisória concedida. Todos ficaram em silêncio durante depoimento à polícia, o que é direito deles previsto em lei.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.