Sequestro de helicóptero: Polícia identifica mentor do plano de resgate de traficantes de presídio no Rio


Carlos Vinícius Lírio da Silva, o Cabeça, é apontado como mentor do plano. Criminoso já foi investigado em tentativa de resgate que resultou na morte de dois policiais civis. Carlos Vinícius Lírio da Silva foi identificado como mentor do sequestro do helicóptero
Reprodução
A Polícia do Rio de Janeiro identificou o preso Carlos Vinícius Lírio da Silva como mentor do plano de resgate de traficantes de Bangu com um helicóptero sequestrado, que acabou frustrado, na tarde do último domingo (19). Conhecido como Cabeça, ele é o chefe do tráfico da comunidade do Sabão, no Centro de Niterói, na Região Metropolitana.
O criminoso foi investigado por, mesmo preso, comandar algumas das mais recentes guerras pelo controle de territórios na cidade.
Cabeça era um dos quatro detentos que estavam na quadra do Presídio Vicente Piragibe, no complexo penitenciário de Gericino, à espera da chegada do helicóptero, que havia sido sequestrado, na tarde de domingo.
De acordo com informações obtidas pelo g1, Cabeça estava junto com Marcio Gomes de Medeiros Roque, o Marcinho do Turano, principal chefe da maior facção criminosa do Estado, o Comando Vermelho, na quadra da unidade prisional, de regime semi-aberto, por volta das 17h20 do último domingo.
“Os quatro estavam ali enrolando pra entrar de volta na galeria”, explica uma fonte.
Apesar de a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) não dar informações sobre a investigação, que corre em sigilo, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) transferiu Marcinho do Turano direto para Bangu 1 (unidade de segurança máxima) no início da noite de ontem.
Cabeça do Sabão está preso no Vicente Piragibe e participou diretamente de outra fracassada tentativa de resgate, em 2005.
Na época, bandidos tentaram libertar traficantes que iriam depor no Fórum da Ilha do Governador. No ataque, dois policiais civis acabaram morrendo.
Cabeça é apontado ainda pela polícia como chefe da comunidade do Sabão, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.
A localidade é próxima ao centro da cidade e fica junto a um dos acessos à Ponte Rio-Niterói.
Investigações mostram que a favela do Sabão é a principal área de venda de drogas da cidade. Cabeça é conhecido também como “senhor das guerras” em Niterói.
Ele é investigado por orquestrar confrontos recentes com outras facções na tentativa de expandir os negócios do Comando Vermelho em Niterói.
Segundo investigações, Cabeça apoiou o confronto para tomar o Morro do Estado, no Centro de Niterói. A disputa e os tiroteios tiveram início em novembro de 2020 e duraram até junho de 2021.
O criminoso foi alvo ainda da polícia e do Ministério Público estadual na Operação Disney que descobriu que uma empresa se associou a traficantes para o fornecimento de sinal de internet clandestino em áreas dominadas pelos criminosos da facção.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.