Comitiva que acompanhou Bolsonaro à ONU tinha cerca de 50 pessoas

O secretário de Comunicação da Presidência, André Costa, informou, nesta quarta-feira (22/9), que a comitiva que acompanhou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à 76ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) tinha cerca 50 pessoas.

Durante pronunciamento, no Palácio do Planalto, Costa afirmou que todos os integrantes, incluindo o mandatário do país, estão assintomáticos e devem fazer um teste para detectar se foram infectados pela Covid-19 no fim de semana. Durante esse tempo, permanecerão em isolamento.

As medidas sanitárias foram adotadas depois que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo. O ministro, que integrou a comitiva, está em isolamento nos Estados Unidos.

Segundo o secretário de Comunicação, a comitiva seguirá o Guia de Vigilância Epidemiológica da Covid-19, do Ministério da Saúde. O texto orienta que em caso de indivíduos assintomáticos, deve-se realizar a coleta do exame no período mínimo de cinco dias após o último encontro com o caso suspeito ou confirmado da doença, o que, neste caso, deve ocorrer entre sábado (25/9) e domingo (26/9).

“A comitiva que acompanhou o presidente da República nessa visita à Organização das Nações Unidas também foi toda orientada a permanecer seguindo o Guia de Vigilância Epidemiológica, publicada desde abril deste ano. […] O presidente da República encontra-se no Palácio da Alvorada, assintomático. Totalmente assintomático e seguirá, então, essas orientações”, informou o secretário.

Segundo André Costa, no caso de resultados negativos, os integrantes serão acompanhados por um médico até o 14º dia após o último contato com o ministro Queiroga. “Permanecendo, então, assintomático, está descartado o caso de Covid”, disse.

Além do ministro da Saúde, um diplomata encarregado de organizar a viagem aos Estados Unidos também testou positivo para o novo coronavírus.

Depois dos diagnósticos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou que a comitiva que esteve em Nova York fizesse isolamento, incluindo o presidente Bolsonaro.

A recomendação fez com que o mandatário do país alterasse a única agenda prevista para esta quarta para o formato de videoconferência. Ele deve se reunir com o subchefe para Assuntos Jurídicos (SAJ) da Secretaria-Geral da Presidência da República, Pedro Cesar Sousa. Na agenda divulgada na noite anterior, o compromisso do compromisso estava apenas como “Brasília/DF”, mas foi alterado para ser realizada no Palácio da Alvorada.

Comitiva presidencial

Abaixo, veja que integrou a comitiva brasileira: 

  • Carlos Alberto França, ministro das Relações Exteriores; 
  • Marcelo Queiroga, ministro da Saúde;
  • Anderson Torres, ministro da Justiça e Segurança Pública; 
  • Joaquim Leite, ministro do Meio Ambiente; 
  • Gilson Machado, ministro do Turismo; 
  • Luiz Eduardo Ramos, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência; 
  • Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência; 
  • Eduardo Bolsonaro, deputado federal; 
  • Flávio Rocha, secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência;
  • Nestor Forster, embaixador do Brasil nos Estados Unidos da América; 
  • Ronaldo Costa Filho, representante permanente do Brasil junto às Nações Unidas;
  • Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal; 
  • Michelle Bolsonaro, primeira-dama;
  • Rodrigo de Bittencourt Mudrovitsch, convidado especial;
  • Paulo Angelo Liégio Matao, intérprete; 
  • Claudia Chauvet, intérprete; e 
  • Rachel Alves Bezerra, intérprete.

Na contramão de Bolsonaro, dos sete ministros que integraram a comitiva, cinco foram vacinados oficialmente: Carlos França, Marcelo Queiroga, Gilson Machado, Luiz Eduardo Ramos e Augusto Heleno.

O post Comitiva que acompanhou Bolsonaro à ONU tinha cerca de 50 pessoas apareceu primeiro em Metrópoles.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.