Com a língua nos dentes

Um dos petiscos mais queridos pelos frequentadores de botequim é a língua de boi. Carne de textura sem igual, após seu preparo adquire cor, aroma e sabor que a tornam um dos petiscos mais pedidos para acompanhar nossa cerveja ou cachaça nos butecos de JF. É bem verdade que muitos torcem o nariz quando ouvem falar nesse tira-gosto, mas essa impressão logo some na primeira mordida. Então, se você ainda não experimentou, não deixe para depois e escolha dentre as várias opções abaixo para petiscar e desfazer essa má impressão. E se você já gosta, pode escolher uma destas dicas para variar entre as formas de preparo e temperos dos nossos cozinheiros locais.

Espetinho da Villa

Para os iniciantes na degustação do petisco, vou indicar a receita do Espetinho da Villa que concorre no JF Sabor deste ano. A partir do tema mineiridade, eles criaram o prato Villa Mineira, que consiste em ragu de língua de boi com linguiça artesanal e angu cremoso, feito com fubá de moinho d’água incrementado com queijo canastra. Ainda acompanham o prato quiabos salteados, cebolinhas picantes, tomates-cereja confitados e uma crocante couve crispy. Nota 10 para eles!
Rua Morais e Castro 447 – Alto dos Passos

Bar Dias

Indico agora um prato campeão dos botequins: o “Nóis é jeca mais é joia” foi o grande vencedor do concurso Comida di Buteco em 2014, quando público e jurados alçaram ao topo do pódio a receita que leva língua de boi cozida e recheada com bacon, acompanhada de batata inglesa. Naquele ano, quem já conhecia o bar e sabia da experiência de Dona Ana, matriarca da família Dias, no preparo dos pratos da casa já imaginava que o título viria. E ele é sucesso até hoje no cardápio, tornando-se um dos mais pedidos por lá.
Rua Luis Rocha 2 – Santa Terezinha

Bar do Torresmo

Em 2019, o Elsimar – conhecido pelo apelido Torresmo – criou uma receita de língua de boi diferenciada: ela é cozida previamente com temperos, vinho e cerveja e, posteriormente, é imersa num espesso molho refogado com alho, cebola, tomate, pimentão, bacon e calabresa. Providencialmente, a língua é acompanhada de pão pra gente poder aproveitar todo o sabor dela e também deste molho, limpando o prato.
Avenida Darcy Vargas 31 – Ipiranga

Pão Moiado

A ideia da língua de boi servida com molhos saborosos ganhou força entre os bares, e, portanto, versões variadas vão surgindo em novos botecos. O recém-inaugurado Pão Moiado nos traz sua receita de língua de boi mergulhada no molho que, como o nome do bar sugere, vai ser consumida com os pãezinhos quentinhos e crocantes que acompanham a panelinha de língua, na qual o petisco é inserido depois de ser preparado em duas etapas: a primeira com o próprio molho e depois acrescido do molho de tomate artesanal, pra apurar o sabor.
Rua José Nunes Leal 45 – Santa Luzia

Bar du Chico

Para os que preferem o preparo clássico para a língua de boi, no estilo botequim raiz, o Chico mantém a mesma receita do seu prato há vários anos, sempre seguindo a forma tradicional de preparo nos butecos de JF, onde esse corte bovino é recheado com bacon e chega à mesa acompanhada de batatas e muita cebola. Aqui, para incrementar e manter o calor dos ingredientes, a porção é servida na pedra quente.
Rua Espírito Santo 1526 – Paineiras

Caminho da Roça

Outra excelente opção para os que desejam estrear na degustação da língua de boi, ou para os já iniciados poderem saborear a carne numa receita caprichada é a versão do bar Caminho da Roça, que foi premiado este ano no concurso Comida di Buteco com a “Língua portuguesa”, receita em que o petisco é preparado no molho madeira, acompanhado de azeitonas pretas, batata-doce, cenoura, cebolas e ovos de codorna, remetendo à culinária lusitana e entregando muito sabor a cada mordida. Parabéns ao bar pela premiação, foi muito merecida!
Rua Espírito Santo 738 – Centro

Fotos: Junior Faria

O post Com a língua nos dentes apareceu primeiro em Tribuna de Minas.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.