Entenda como será a “doação” de vacinas entre cidades mineiras

Municípios que já completaram a vacinação com a primeira dose de todos os moradores de 18 anos ou mais deverão ceder imunizantes remanescentes para as cidades que ainda não o fizeram, segundo orientação repassada ontem pelo governo de Minas às prefeituras. Até ontem, de acordo com o Executivo estadual, pelo menos 342 cidades informaram a conclusão da vacinação da população adulta, sendo oito delas na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH): a capital, Confins, Contagem, Matozinhos, Nova Lima, Pedro Leopoldo, Rio Manso e São Joaquim de Bicas. Justificada como um esforço para vacinar 100% da população adulta do estado ainda neste mês, a orientação é dada no momento em que o país volta a enfrentar dificuldades no abastecimento, com atraso na entrega de novo lote da AstraZeneca pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e retenção de12,1 milhões de doses da CoronaVac, por determinação da Agência Nacional de Vigilância Santitária (Anvisa), para averiguação de linha de produção de insumos fabricados na China (leia mais nesta página), em cenário de escassez que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, classificou ontem como “uma narrativa”.
 
Ontem, o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, se reuniu com os prefeitos da RMBH para atualizar os gestores sobre a campanha, a convite da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Agência RMBH) e da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Na ocasião, o secretário reforçou as orientações previstas na Deliberação CIB-SUS/MG 3.508, publicada no dia 3, sobre a aplicação da terceira dose – de reforço – e imunização de adolescentes de 12 a 17 anos. As cidades que tenham disponibilidade de doses remanescentes da vacina Pfizer e que já concluíram a vacinação da população com idade igual ou superior a 18 anos de idade poderão avançar para a nova etapa da campanha, como já vem ocorrendo em algumas, entre elas Belo Horizonte. A atual cobertura da primeira dose de adultos no estado é de 84,96%, a prioridade da SES-MG é vacinar 100% ainda este mês.
 
De acordo com a SES, na prática, a deliberação significa que os municípios que já vacinaram os adultos e têm doses remanescentes da CoronaVac deverão formalizar, via ofício, a conclusão do processo e disponibilizar a vacina restante na Unidade Regional de Saúde de sua abrangência. À regional, ainda segundo a SES, caberá encaminhar as doses para outros municípios da área que ainda não concluíram a vacinação da população com idade igual ou superior a 18 anos. Com isso, a expectativa da pasta é atingir os 100% dos adultos ainda neste mês. A SES não detalhou o porquê de pedir a redistribuição exclusivamente da CoronaVac, mas o motivo provável é o fato de o esquema vacinal com esse imunizante ser completado em prazo máximo de 28 dias, facilitando o manejo dos estoques pelas prefeituras.
 
Quanto às vacinas da AstraZeneca, com doses oferecidas em intervalos de até 12 semanas no Brasil, é necessário que as prefeituras guardem imunizantes para garantir a complementação do esquema. Baccheretti apontou que os municípios em Minas, de uma forma geral, estão acatando as orientações do Ministério da Saúde e da SES, respeitando as notas técnicas ao não usar a segunda dose como primeira, o que evita a falta do imunizante como está ocorrendo em outros estados. Na sexta-feira, o governo de Minas iniciou a distribuição da 48ª e 49ª remessas de imunizantes. Ao todo, são 627.945 doses, sendo 276.053 da Pfizer, referentes à 48ª remessa, somados a 129.252 doses da Pfizer e 222.640 doses da CoronaVac, referentes ao 49º lote.

BELO HORIZONTE Uma das oito cidades da RMBH que já concluíram a aplicação da primeira dose de vacinas na população adulta, Belo Horizonte ainda não dispunha ontem dos dados sobre eventuais doses remanescentes da CoronaVac, ainda em processo de aplicação para complementação do esquema vacinal de alguns grupos. Quanto à AstraZeneca, a prefeitura informou, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, que, no momento, não há atraso na segunda dose devido à falta de vacina, para os grupos já convocados.
 
De acordo com o texto, a cidade recebeu a última remessa de AstraZeneca em 3 de setembro, num total de 20.750 doses. Esse número, somado à reserva que o município tinha, foi destinado à segunda dose de caminhoneiros, à continuidade da vacinação de pessoas com 56 anos e ainda na aplicação da segunda dose de pessoas de 55 anos. Esse grupo já foi convocado e a vacinação será no dia 16, detalha a nota. “O município aguarda o envio de novas remessas para concluir o esquema vacinal de alguns públicos que receberam esse imunizante. É importante considerar que esses grupos ainda não estão no prazo de intervalo entre a aplicação da primeira e segunda dose. A Prefeitura reforça que, caso ocorra alguma falta, será aplicada a vacina que for destinada pelo Ministério da Saúde, observadas as orientações técnicas vigentes”, completa.
 
Hoje, a administração municipal aplicará a segunda dose para pessoas de 28 anos com a CoronaVac. Amanhã, é a vez das pessoas de 27 anos completarem o esquema vacinal. Segundo o balanço de ontem da prefeitura, BH tem 84,6% do público-alvo da campanha vacinado com ao menos dose de vacina. O esquema vacinal já está completo para 47% da população. No total, 3.289.186 doses foram aplicadas. A capital recebeu, até o momento, 3.459.136 unidades de vacinas.

COMO FICA

» Cidades que já ofereceram a vacina a toda a população com mais de 18 anos podem avançar para imunização de adolescentes de 12 a 17 e terceira dose de idosos com mais de 70 se houver doses da Pfizer disponíveis
» Essas mesmas cidades devem entregar à regional de Saúde doses sobressalentes de CoronaVac para repasse a outros municípios
» No caso da AstraZeneca, os intervalos para completar o esquema vacinal, a orientação é não usar as segundas doses como primeira para avançar na vacinação por idade

Melhora nos indicadores

Novos sinais de alívio em Belo Horizonte. A ocupação dos leitos de enfermaria para COVID-19 na cidade, caiu ontem a 29,2%, menor índice registrado neste ano. O dado consta no boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura. Nas unidades de terapia intensiva (UTIs), a lotação é de 47%, portanto dentro da zona de controle. A taxa de transmissão do novo coronavírus (RT) está em 0,93%, também na faixa controlada, abaixo de 1. O dado significa que  cada grupo de 100 pessoas infectadas transmite a doença a outras 93. A COVID-19 matou 6.614 pessoas na capital mineira. Os casos confirmados do vírus somam 278.233. Em Minas Gerais, de acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) já são 2.097.095 casos e 53.698 mortes causadas pelo vírus.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.