Professor do IF Goiano é único brasileiro entre 50 finalistas do Global Teacher Prize 2021


O profissional vencedor ganhará U$ 1 milhão e reconhecimento internacional. Greiton Toledo ensina matemática e criou projeto que desenvolve atividades para tratamento do Parkinson. Professor goiano está entre os 50 finalistas do maior prêmio de educação do mundo
O goiano Greiton Toledo de Azevedo é o único representando o Brasil no prêmio internacional de educação Global Teacher Prize de 2021. Professor no Instituto Federal Goiano (IF Goiano) em Ipameri, no sudeste de Goiás, ele ensina matemática estimulando os alunos a pensarem como cientistas e a criarem jogos e atividades que ajudem no tratamento dos sintomas do Parkinson.
O Global Teacher Prize está na sua oitava edição e é considerado o “Nobel da Educação” por ser o de maior reconhecimento na área. Ele premia o melhor professor entre os indicados avaliando qual deles teve uma atuação excepcional e que deixa uma contribuição única à profissão. O vencedor ganha, além do título, U$ 1 milhão.
Cientista, doutorando e professor de matemática, Greiton conta que sempre estudou em escolas públicas e desde os 13 anos é guiado pela paixão em transformar a realidade através da educação.
Professor Greiton Toledo com estudantes criando atividades antes da pandemia da Covid-19
Reprodução/Arquivo pessoal
Lecionando há 11 anos, ele busca oferecer mais do que aulas para os estudantes, por isso criou o Mattics, que é um projeto em que os estudantes criam jogos e atividades, de maneira sustentável e que ajudam no tratamento de pessoas com Parkinson.
“Eles criam soluções para problemas reais da sociedade por meio da matemática e da robótica. Isso os encoraja a ver e interpretar situações reais em que ela se aplica e começam a ver sentido e desenvolvem gosto pela matemática”, descreveu.
Coordenadora do hospital em Anápolis que recebia essas atividades desenvolvidas pela turma dele, Raquel Moreira Barros contou que os pacientes com Parkinson se beneficiavam muito desse trabalho e só pararam de recebê-los por causa da pandemia da Covid-19.
“Jogos ajudavam na parte motora, de coordenação, concentração, equilíbrio. Tudo isso eles desenvolviam muito”, lembrou.
Professor Greiton Toledo de Azevedo, 31 anos, finalista no Global Teacher Prize 2021
Reprodução/Arquivo pessoal
Segundo Greiton, estar entre os 50 finalistas do prêmio entre mais de 8 mil profissionais de 121 países que se inscreveram é uma grande realização. O prêmio analisa a história do professor e o impacto que ele vem causando na sociedade em que está inserido.
“Fico muito honrado de poder representar a escola pública, porque sou fruto e professor dela. A gente precisa impactar a vida das pessoas por meio da ciência brasileira, por meio do ensino da matemática, que foi preterido por muitos anos, mas é possível mudar essa realidade e trazer impacto social pelo conhecimento escolar na educação pública”, disse.
Ex-aluno de Greiton, o estudante Guilherme Dias contou que as aulas do professor são mesmo diferentes, porque mostram a matemática por outros ângulos, diferentes daqueles conhecidos pelos jovens.
“A matemática tem de fato um potencial prático, que é muito complicado de se ver no ensino médio. O Greiton é a manifestação desse ensino de vanguarda. É completamente diferente do que a gente está acostumado e do que é parte das instituições de educação no Brasil. Para nós, é um orgulho imenso”, registrou.
Professor Greiton Toledo dando aula antes da pandemia da Covid-19
Reprodução/Arquivo pessoal
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
VÍDEOS: saiba o que acontece em Goiás
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.