‘Já que é pra tomar, vamos tomar’, diz Delinha após receber dose de reforço


Com direito a trilha sonora “O Sol e a Lua” e “Antigo Aposento”, Delinha tomou a dose de reforço nessa segunda-feira (13), no drive-thru do Parque Ayrton Senna. Delinha recebe dose de reforço da vacina contra a Covid-19, em Campo Grande
Sesau/Divulgação
Acompanhada do filho João Paulo Pompeu, foi só o Corsa Classic chegar ao drive-thru para começar a tocar as canções de Délio e Delinha. A “dama do rasqueado” completou 85 anos no último dia 7 de setembro, sem festa pelo segundo ano consecutivo, em razão da pandemia.
Os vídeos gravados gentilmente por um funcionário da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) narram todo o tempo de vacinação.
Primeiro, Delinha entrega o documento e o cartão de vacina que mostra as datas da primeira dose, tomada no dia 10 de fevereiro, e a segunda dose, que foi na data de 10 de março.
Antes de imunizar, a funcionária mostra para Delinha e João Paulo a quantidade de ml existente na seringa e em seguida já pede que Delinha “relaxe o braço” para a vacina.
Imunizada, Delinha agradece à atendente e faz o gesto como se agradecesse também ao público.
“Já que é pra tomar, vamos tomar”
Na ponta da língua, Delinha já tem a resposta ao ser questionada sobre a dose de reforço. “Já que é pra tomar, vamos tomar”, brinca.
A compositora e cantora está guardadinha em casa desde o início da pandemia. As poucas saídas foram para participações em lives. E ela confessa que não tem sentido falta.
“Eu não gosto muito de sair, só trabalhar. Se não tem trabalho, a gente vai levando. Acostumei de ficar à toa, só trabalhando dentro de casa”, diz.
Sobre a volta aos palcos, Delinha fala que é o filho quem decide, isso porque João Paulo é muito preocupado, e com razão. Ao longo deste 1 ano e meio de pandemia, Delinha conta que não suspeitou, nenhuma vez, que estivesse com o coronavírus.
Até com a dose de reforço, a compositora descreve que vai seguir as orientações e evitar aglomeração. “Tem que esperar, a gente tem muitos convites, mas continuo com medo. A turma chega e me abraça, me beija, graças a Deus é assim”, relata.
Delinha conta que se sentiu homenageada ao chegar para se vacinar e ouvir as próprias músicas. “Você viu que beleza de homenagem fizeram pra mim? Aquele povo lá é muito bom”, elogia.
Foi o filho João Paulo que havia comunicado à Sesau que levaria a mãe para se vacinar e combinou o horário até para conseguir que fosse filmado.
Longe dos palcos
Delinha está sem se apresentar desde o início da pandemia. Ícone da música caipira, Delinha tinha cinco shows agendados antes de começarem os casos de covid-19 no País.
Desde então, tem feito lives e vendido pen-drives com os seus maiores sucessos, como mostra o vídeo abaixo. Quem quiser adquirir pode comprar pelo telefone: 9-9989-3123 no valor de R$ 100,00 para a capital e R$ 130,00 para municípios do interior.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.