Vazante dos rios coloca nove municípios em situação de alerta no Amazonas


Outras 13 cidades estão em atenção. Sudoeste do estado apresenta reflexo da escassez de chuvas promovidos pelo período de estiagem. Benjamin Constant enfrenta vazante severa dos rios Solimões e Javari.
Rôney Elias/Rede Amazônica
O processo de vazante dos rios fez com que 9 municípios entrassem em situação de alerta no Amazonas, já que em alguns pontos há previsão de estiagem severa. O balanço foi divulgado pela Defesa Civil estadual, nesta segunda-feira (13).
O Centro de Monitoramento e Alerta (Cemoa) apontou que, atualmente, é observado que a faixa Sudoeste do estado experimentou o reflexo da escassez de chuvas promovidos pelo período de estiagem.
Isso pode levar a impactos de forma pontual, sobretudo nas áreas que compreendem as calhas do Alto e Médio Juruá, Alto Purus e Alto Solimões.
Os municípios em Alerta são:
Guajará;
Ipixuna;
Itamarati;
Eirunepé;
Envira;
Carauari;
Boca do Acre;
Pauini; e
Canutama.
Em situação de atenção, são 13 cidades: Humaitá, Apuí, Manicoré, Novo Aripuanã, Borba, Nova Olinda do Norte, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Iça e Tonantins.
Conforme a Defesa Civil, o cenário futuro indica o retorno das chuvas, tendo em vista que o período seco já se encerra no mês de setembro. Em outubro, já deve ocorrer a transição entre a estação seca para chuvosa, em que se espera retorno das chuvas.
Veja atualização do monitoramento do nível do rio nas Calhas do Amazonas:
Bacia do Juruá
O nível do rio na região encontra-se em processo regular de vazante, com níveis baixos para o atual período do ano. A estação de referência, localizada em Cruzeiro do Sul (AC), registrou o nível de 3,77m (baixou 0,03m) nesta segunda (13).
No dia 10 de setembro de 1995, ano da menor vazante no município, registrou o nível de 2,56m (1,21m abaixo da cota atual).
Bacia do Purus
O nível do rio em Rio Branco (AC) se encontra em processo de vazante, com cotas baixas para o atual período do ano, indicando vazante severa na região, com influência remota nas regiões do Alto e Médio Purus.
Estação referência para a região, localizada no município de Boca do Acre, registrou, nesta segunda, o nível de 4,22 m (subiu 0,02m). No dia 10 de setembro de 1998, ano da menor vazante no município, registrou o nível de 4,07m (0,15m abaixo da cota atual).
Bacia do Madeira
O rio Madeira se encontra em processo de vazante, com níveis no limite inferior à faixa de normalidade, indicando possibilidade de vazante severa na região. Estação que monitora a região no município de Humaitá registrou, nesta segunda, o nível de 10,86m (parado).
No dia 10 de setembro de 1969, ano da menor vazante registrada no município, registrou o nível de 8,61m (2,25 m abaixo da cota atual).
Bacia do Alto Solimões
Em processo natural de vazante. A estação que monitora a região no município de Tabatinga registrou, nesta segunda, o nível de 1,58m (subiu 0,18m). No dia 10 de setembro de 2010, ano da menor vazante no município, registrou o nível de -0,24m (1,82 m abaixo da cota atual).
Vazante dos rios: cidades do Alto Solimões permanecem afetadas
Veja vídeos mais assistidos do G1 Amazonas
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.