Candidato de si mesmo, Doria virou animador de quermesse

Em entrevista ao DCM, o deputado Alexandre Frota disse que a divisão do PSDB é o principal impecílho para uma atuação mais efetiva do PSDB na câmara dos deputados.

Frota foi claro: a bancada é dividiva meio a meio. Uma parte quer fazer oposição ao governo de Jair Bolsonaro, enquanto a outra metade cede às benesses – emendas parlamentares e a farra de indicação de cargos nas estatais.

Nesta terça, a bancada gaúcha, composta por dois parlamentares, Lucas Redecker Daniel da TV, anunciou que não vai seguir a orientação de ir para a oposição.

O mesmo diz o presidente do Instituto Teotônio Vilela, deputado Pedro Cunha Lima.

“Não penso que fazer uma oposição sistemática a Bolsonaro, ao modelo que o PT faz, seja o papel que eu deva cumprir”, diz o tucano.

É mais um duro golpe na tentativa de João Doria de se viabilizar como opção de 3a via.

Doria é uma figura isolada no PSDB.

LEIA mais:

1. Criação de jogos de azar cria conflito entre governo e bancada evangélica

2.  Temer ri de Marinho imitando e zoando Bolsonaro

Não tem apoio dos figurões de São Paulo, é visto com desconfiança na Executiva nacional e, para piorar, não amarrou acordos com lideranças nos estados.

Qual líder nacional está ao lado do gestor? Nenhum.

É candidato de si mesmo. Repete a teimosia de Geraldo Alckmin que tentou a presidência 2 vezes, em 2006 e 2018.

Na primeira admitiu que encerrou a campanha isolado. Disse que a única pessoa que ficou ao seu lado foi a filha Sophia.

O fiasco de 2018, quando teve menos de 5% dos votos, dispensa maiores comentários.

Doria ainda imagina que vai contar com o apoio da imprensa amiga de São Paulo.

Isso andando com gente como César Gontijo, que conseguiu emplacar na Executiva nacional mas que não passa de um mané que usa a politica para fazer bons negócios.

O PSDB é um dos partidos que mais votam com o governo.

Até 2020, a bancada acompanhou Bolsonaro em 92% dos acordos. É o mesmo nível de adesão do partido Novo.

Doria é favorito nas prévias, mas seu caminho até o Planalto é bem complicado. A começar no seu próprio estado: ele é odiado na capital e, no pós-pandemia, virou também no interior.

Doria animador de quermesse

O gestor enganou todo mundo – lembra do Bolsodória? – e agora está pagando o preço. Sua dancinha no fracassado ato do MBL domingo dá o tom da idiotice.

Não lidera, não tem projeto, não tem grupo. Virou animador de quermesse.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.