Vereadores fiscalizam obras e condições de Unidades de Saúde de BH

Vereadores que integram a Comissão de Saúde e Saneamento da Câmara de BH visitaram nesta terça-feira (14/9) duas unidades de saúde da capital, uma em Venda Nova e a outra na Pampulha. O objetivo é conferir andamento de obras e disponibilidade de equipamentos, de profissionais de saúde, bem como espaço físico e horário de funcionamento. 
 
De acordo com a Comissão, a primeira vistoria foi às 9h30 desta terça (14), tendo por finalidade fiscalizar o andamento das obras para a construção do novo Centro de Saúde Visconde do Rio Branco, na Região de Venda Nova. 
 
Amanhã (15/9) será a vez de visitar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Pampulha, no Bairro Santa Terezinha.
 
Segundo a Comissão, a vistoria da Unidade de Venda Nova foi solicitada pelo vereador Irlan Melo (PSD). O ponto de encontro foi na Rua Joviano Coelho Júnior, no Bairro Rio Branco, onde funciona o atual posto. 
 
Por meio de parceria público-privada (PPP), a nova sede está sendo reconstruída na Rua Crisanto Muniz, 87, Bairro Rio Branco. A obra da nova unidade está em fase final e a previsão é de que em outubro o Centro de Saúde  Visconde do Rio Branco passe a funcionar no novo espaço.
 
Diante disso, a visita tem por objetivo fiscalizar o andamento das obras e o processo de implantação da nova sede, incluindo espaço físico, profissionais e equipamentos, com o intuito de obter informações atualizadas da nova diretoria.
 
Já a visita técnica à UPA Pampulha, na Avenida Santa Terezinha, 515, será realizada na quarta-feira (15/9), às 9h30. A visita foi solicitada pela vereadora Duda Salabert (PDT).
 
De acordo com relatos da vereadora, segundo denúncias, a UPA não possui todos os equipamentos necessários para o atendimento aos pacientes, nem tampouco número de profissionais de saúde suficiente para cobrir a demanda da população local. 
 
Além disso, de acordo com a requerente, as condições da unidade carecem de reformas, considerando que o posto atende a usuários de toda a Região da Pampulha e arredores.
 
Conforme determina o Ministério da Saúde, as UPAs devem funcionar de modo ininterrupto, por 24 horas, todos os dias da semana, incluindo feriados e pontos facultativos, com equipe multiprofissional interdisciplinar compatível com seu porte. Entretanto, a unidade não cumpre essa exigência.
 
 
*Estagiária sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira 
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.