Mais da metade dos mortos no trânsito em Fortaleza em 2021 estavam em motocicletas


Dados da AMC mostram a vulnerabilidade de condutores e passageiros, cujos dados fatais subiram em 2021. Acidente ocorrido em março de 2021 no cruzamento da Av. Santos Dumont com a Rua Valdetário Mota, em Fortaleza.
Rafaela Duarte/SVM
C
Dados da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) apontam que 57% das pessoas que morreram em acidentes de trânsito em Fortaleza eram condutores ou passageiros de motocicletas. Os números não identificam responsabilidade do condutor no acidente, mas apontam a vulnerabilidade dessas pessoas em deslocamento pela cidade.
Os dados estão disponíveis na Plataforma Vida, uma ferramenta com dados de segurança viária que está em funcionamento desde dezembro do ano passado e foi elaborada em parceria com a Bloomberg Philanthropies. A Prefeitura de Fortaleza publicou informações e a forma de acesso à iniciativa nesta segunda-feira (13). Qualquer cidadão pode acessá-la por meio deste link.
De acordo com a AMC, 98 pessoas perderam a vida em acidentes de trânsito nas ruas e avenidas da capital entre janeiro e junho de 2021. Desse total, 56 deles ocorreram com condutores ou passageiros de motocicletas, ou seja, 57% de todos as pessoas que morreram no trânsito neste período.
Além deles, morreram como vítimas do trânsito na capital no primeiro semestre de 2021: 30 pedestres, cinco usuários de automóveis e sete ciclistas.
Vítimas mortas em acidentes de trânsito em Fortaleza.
Divulgação/AMC
Conforme a AMC, em 2020, em igual período, foram contabilizados 89 acidentes fatais. Ou seja, comparando o mesmo período do ano passado e do atual, houve aumento de 10% nas mortes no trânsito em Fortaleza. Esses números vinham caindo desde 2017, mas apresentou um crescimento neste semestre.
Os acidentes que provocaram mortes estão dissipados em todas as áreas da capital, com registros realizados em áreas centrais, na periferia e na área nobre. O mapa a seguir mostra 88 dos acidentes ocorridos georreferenciados. Cada ponto azul corresponde a um sinistro.
Acidentes com óbitos ocorreram em todas as regionais de Fortaleza em 2021.
Reprodução/Plataforma Vida
Motociclistas são mais vulneráveis, diz especialista
Para o coordenador da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global no Brasil, Dante Rosado, os motociclistas são considerados no trânsito como usuários mais vulneráveis por estarem totalmente expostos.
Motociclista ficou gravemente ferido após colidir com outra moto no Bairro Aldeota, em Fortaleza.
Leábem Monteiro/SVM
“A única proteção que ele tem é o capacete. Nos últimos 20 anos, no Brasil, a moto vem sendo incentivada como meio de transporte e, junto com esse crescimento, vem crescendo o número de mortos e feridos. É um fenômeno que está associado”, avalia.
Na opinião de Dante, somados ao aumento da frota e a baixa segurança dos motociclistas, há pessoas que não seguem diretamente as regras trânsito e não respeitam os limites de velocidade. Este último fator, inclusive, é apontado como o que mais provoca sinistros nas cidades. “Para quem está na pele, as famílias que estão sofrendo, esse número é altíssimo, pois elas foram impactadas. Normalmente, isso causa um impacto grande na família porque são os adultos que se acidentam mais”, acrescenta.
Assista às notícias do Ceará no G1 em 1 Minuto:
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.