Vítimas de acidente que envolveu time de vôlei em Lages são mãe e filhos; veja quem são

As três vítimas do grave acidente registrado neste domingo (12), em Lages, foram identificadas e são da mesma família. Elas estavam em uma caminhonete S10, que bateu de frente em um micro-ônibus que transportava uma equipe de vôlei.

Camila Augusto da Silva, de 30 anos, conduzia a caminhonete que bateu de frente em um micro-ônibus – Foto: Reprodução/Redes Sociais/ND

Camila Augusto da Silva, de 30 anos, conduzia a caminhonete. As outras duas vítimas eram seus filhos, um menino de 13 anos e uma menina de 11. Os nomes das crianças não foram divulgados pelo IGP (Instituto Geral de Perícia).

O acidente aconteceu no quilômetro 226, da BR-282, perto das 20h40. Segundo o relato do motorista do micro-ônibus, a condutora da caminhonete teria perdido o controle do veículo e, por isso, rodou na pista antes de colidir de frente com o utilitário.

Leia mais

  • Três mortes após grave acidente entre micro-ônibus e caminhonete na BR-282, em Lages
  • ‘Ficamos desesperados’, diz atleta de vôlei após acidente com caminhonete em SC

Editar

Conforme a PRF (Polícia Rodoviária Federal), havia seis pessoas na picape cuja capacidade é de cinco ocupantes. A S10 tinha placas do Mercosul, mas com origem no município de Otacílio Costa. Camila e os filhos eram moradores de Lages.

Equipe de vôlei

O micro-ônibus transportava onze atletas que atuam na equipe amadora de vôlei do Curitibanos, com idades entre 17 e 22 anos. Três deles tiveram ferimentos leves. O time voltava da cidade de Lages, onde disputou o quadrangular de vôlei adulto.

Nesta segunda-feira (13), o atleta Mateus dos Santos, de 22 anos, contou como foi o momento da colisão.

Caminhonete S10 bateu de frente com um micro-ônibus na BR-282 – Foto: Dvulgação/ND

“Eu estava tentando dormir e os demais meninos estavam falando dos jogos. A motorista da caminhonete perdeu o controle na curva, rodopiou e invadiu a pista contrário. Nosso motorista freou o máximo que conseguiu, mas não conseguiu evitar. A gravidade do acidente por causa da velocidade da caminhonete”, disse Mateus ao ND+.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.