Anita Garibaldi: dois mundos, dois espetáculos online, muitas batalhas e uma história

Anita Garibaldi, ou Ana Maria de Jesus Ribeiro da Silva nasceu há 200 anos. Mas quem foi ela? Por que é personagem constante na literatura, no cinema, na televisão e no teatro? Voltemos, alguns anos, para a aula de história que tratava da Guerra dos Farrapos, Revolução Farroupilha ou Revolta dos Farrapos. Ela foi figura importante nesta revolta que marcou a primeira metade do século XIX na região sul do Brasil.

É a biografia dessa mulher que inspira a montagem teatral online A ESPERA Anita Garibaldi: Visões e fragmentos de Vida. A peça tem direção de Gianluca Barbadori com Camila Felix. A temporada de estreia fica disponível até 30 de setembro. Curiosamente, ao mesmo tempo, a versão italiana do texto também está em cartaz até a mesma data.

Historicamente, vivendo na sombra do seu marido Giuseppe Garibaldi, Anita foi uma brasileira que viveu pouco. Morreu aos 27 anos depois de atuar diretamente como combatente. Ela viveu entre o Brasil e a Itália. Entre a Farroupilha e a Batalha Gianicolo, na Itália, Anita Garibaldi teve cinco gestações. A última não foi finalizada devido à sua morte por febre tifoide em meio a guerra. Entre as inúmeras batalhas, a heroína pode ser definida como uma mulher emancipada, corajosa, indomável e revolucionária. 

O teatro como reconstrução e memória

Em homenagem ao bicentenário de nascimento de Anita Garibaldi, o Grupo Teatro Colli de Bologna e a Fundação Museu do Risorgimento de Ravenna produziram o espetáculo “L’attesa” na Itália. Foi escrito por Valeria Magrini e interpretado pela jovem atriz Asia Galeotti com direção de Emanuele Montagna. Após a cessão dos direitos da peça pela dramaturga e autora teatral para rede de artistas e operadores culturais sediada em Ancona (Itália), Bogotá (Colômbia) e Belo Horizonte (Brasil) – Ponte tra Culture/Ponte entre Culturas, a obra ganhou uma montagem em português. 

O projeto transacional e cosmopolita, “A Espera” teve direção do diretor, pedagogo, ator, fundador e diretor artístico da Associação Ponte tra Culture, Gianluca Barbadori. Interpretando o texto de Valeria Margini, traduzido por Nicole Alvarenga Marcello e Patrizia Collina Bastianetto, a atriz e bailarina Camila Felix. Além disso, o espetáculo online tem colaboração com os Institutos Italianos de Cultura de Rio de Janeiro e São Paulo e o apoio institucional da Embaixada da Itália e dos Consulados de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Anita, no teatro, é representada em suspensão, à espera – como sugere o título – de que seu corpo, tendo ocupado diversas covas e lugares, chegue ao seu destino, ao lado de Giuseppe, seu companheiro de vida e de luta. Em uma ressurreição épica, a protagonista reconstrói sua história, por vezes em controvérsia aos historiadores: a mulher revolucionária que desbravou territórios em busca dos seus sonhos libertários e sua história de amor. 

Uma breve conversa com a nossa Anita Garibaldi, a atriz Camila Felix

A história da heroína Anita Garibaldi foi, também para a intérprete da personagem, uma visita à história. Camila Felix, atriz que possui a mesma idade da heroína na data da sua morte, relatou um conhecimento inicial muito generalizado. “Eu não sabia muita coisa, o que eu conhecia, era muito que vem a nossa cabeça associada a Guerra dos Farrapos, o que aprendi na escola, e me vinha uma mulher guerreira, muito influenciada pela telenovela”. 

O projeto que chegou em suas mãos por uma indicação da diretora do seu último trabalho teatral, a artista e docente Mônica Ribeiro, teve seu processo iniciado por volta de maio de 2021. Tudo foi realizado de forma online. O teste, os primeiros exercícios criativos, estudo de texto e os ensaios. Enquanto a atriz estava em sua residência em Belo Horizonte, o diretor transitava, envolvido em outros trabalhos, por diversos países até sua chegada na Colômbia. Este, lugar onde foram realizadas as gravações do projeto devido à facilidade logística que o mesmo permitia. Foi em Bogotá, inclusive, o primeiro encontro presencial dos artistas e o último ensaio antes das gravações.

Os desafios foram inúmeros para atriz. Pela primeira vez fora do Brasil, gravações em poucos dias com locações externas e noturnas, um processo criativo diferente de tudo que ela experimentou. A dinâmica de uma produção audiovisual para um teatro e a responsabilidade de viver uma mulher corajosa, sonhadora e sofredora.

Mesmo assim, Camila reafirma sem medo de ser clichê, “foi a experiência mais mágica da minha vida”. E arremata, reforçando a mulher fora do tempo que era Anita Garibaldi, “ela é uma figura de enfrentamento, a energia desta personagem é tão forte no sentido de justiça, do poder feminino, do poder de conseguirmos alcançar o que a gente quer, é uma figura que traz esperança, uma força e ela pode influenciar muitas mulheres. Se ela estivesse aqui hoje, ela estaria lutando pela igualdade e contra o negacionismo”. 

Serviço

A Espera, Anita Garibaldi: Visões e fragmentos de Vida, disponível até 30 de setembro no Youtube: A ESPERA Anita Garibaldi: Visões e fragmentos de Vida. Direção: Gianluca Barbadori 29/08 a 30/09

L’Attesa, Anita Garibaldi: Morte e Vita di una Regina (versão italiana), disponível até 30 de setembro no Youtube: L’ATTESA Anita Garibaldi: Morte e Vita di una Regina. Regia: Emanuele Montagna. 28/08 al 30/09

Por Anselmo Bandeira

Camila Felix como Anita Garibaldi. Foto de Juan Camilo Arias

The post Anita Garibaldi: dois mundos, dois espetáculos online, muitas batalhas e uma história appeared first on Culturadoria.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.