Mais de 440 organizações públicas aderem a Programa Nacional de Prevenção à Corrupção; 608 foram convidadas


Entre as instituições covidadas estão prefeituras e câmaras de todos os municípios, todas as unidades gestoras do município de Teresina, do governo estadual e do governo federal localizadas no estado. Membros do TCE-PI fazem parte da Rede de Controle no estado
Reprodução/Tv Clube
Cerca de 440 instituições municipais, estaduais e federais do Piauí já aderiram ao Programa Nacional de Prevenção à Corrupção (PNPC), que tem o objetivo de reduzir os níveis de fraude e corrupção no Brasil a patamares similares aos de países desenvolvidos. No estado, 608 organizações públicas foram convidadas a participar e têm até o dia 20 de setembro para fazerem a adesão.
O programa, que é coordenado pelas Redes de Controle nos Estados, é voltado aos gestores públicos de todo o país e disponibiliza ferramentas de autoavaliação, orientações e treinamentos para implantação de boas práticas de controle e prevenção à corrupção.
Entre as instituições chamadas a participar estão as prefeituras e câmaras de todos os municípios, além de todas as unidades gestoras do município de Teresina, do governo estadual e do governo federal localizadas no estado.
“Por meio de uma plataforma de autosserviço on-line contínua, o gestor terá a oportunidade de avaliar sua instituição, descobrindo previamente os pontos mais vulneráveis e suscetíveis a falhas. A partir desse diagnóstico, ele terá acesso a um plano de ação específico que apresentará sugestões e propostas adequadas às necessidades da sua entidade. O Programa oferece ainda orientações, treinamentos, modelos e dispõe de parcerias com órgãos e entidades públicas e privadas para implantação dos mecanismos de controle à corrupção”, destaca nota da Rede de Controle.
A adesão de 70% das instituições piauienses convidadas, até o momento, coloca o Piauí entre os dez estados do país com maior participação no programa.
A expectativa é que esse número se amplie até o próximo dia 20, quando se encerra o prazo para que as organizações públicas possam ingressar na plataforma e-Prevenção nessa primeira rodada do PNPC.
O PNPC é uma proposta inovadora adotada pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA), com coordenação e execução pelas Redes de Controle nos Estados, patrocinada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Controladoria-Geral da União (CGU). Conta com o apoio da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), Conselho Nacional dos Presidentes dos Tribunais de Contas (CNPTC), Associação Brasileira dos Tribunais de Contas dos Municípios (Abracom), Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci) e Confederação Nacional dos Municípios (CNM).
No Estado do Piauí, o trabalho está sendo conduzido pela Rede de Controle da Gestão Pública no Piauí, por meio de Grupo de Trabalho exclusivamente dedicado ao Programa, composta por representantes de diversos órgãos de controle, entre eles as unidades do TCU e da CGU no Estado, o Tribunal de Justiça, o Tribunal Regional Eleitoral, o Ministério Público Estadual, o Tribunal de Contas do Estado e a Controladoria Geral do Estado. A iniciativa conta, também, com o apoio da Controladoria Geral do Município de Teresina, da Associação Piauiense de Municípios e da União das Câmaras Municipais do Estado do Piauí.
Veja as últimas notícias do G1 Piauí
VÍDEOS: Assista às notícias mais vistas da Rede Clube
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.