Parlamento britânico proíbe acesso a embaixador chinês

O Parlamento britânico negou o acesso nesta terça-feira (14) ao embaixador chinês em Londres, em resposta às sanções impostas por Pequim a vários deputados britânicos.

Zheng Zeguang, novo embaixador na capital britânica, devia assistir na quarta-feira na Câmara baixa a uma reunião com vários partidos sobre a China, mas os deputados sancionados alertaram para a situação.

“Me reúno regularmente com embaixadores do mundo inteiro para estabelecer vínculos sólidos entre países e parlamentares”, disse em um comunicado o “speaker”, presidente da Câmara dos Comuns, Lindsay Hoyle.

“Mas não acho que seja apropriado receber um embaixador da China na Câmara dos Comuns e no nosso local de trabalho, quando seu país impôs sanções contra alguns dos nossos membros”, acrescentou.

Um porta-voz do “speaker”, da Câmara alta, a dos Lordes, confirmou que os responsáveis pelas duas Câmaras entraram em acordo para que a reunião ocorresse em um local diferente.

Um porta-voz da embaixada da China lamentou que “as ações desprezíveis e covardes de alguns indivíduos do Parlamento britânico dificultem os intercâmbios normais e a cooperação entre a China e o Reino Unido”, em declarações coletadas pela página do organismo na internet.

Poucos dias depois que Londres sancionou altos funcionários chineses por seu envolvimento na violação dos direitos humanos dos uigures, Pequim sancionou no fim de março vários deputados britânicos, entre eles o presidente da comissão de Relações Exteriores, Tom Tugendhat, ou Iain Duncan Smith, ex-chefe do partido conservador.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.