Água mineral: vendedores comemoram vendas por causa do calorão em BH

O inverno nem acabou e o calor acima dos 30ºC permance em Belo Horizonte há dias. Nesta quarta-feira (15/9), os termômetros bateram 36,2ºC em alguns pontos da cidade e os reflexos da temperatura são sentidos, também, pelos vendedores de água mineral, que notaram um grande aumento no consumo dos últimos dias.
 
“Como diz o ditado: a água tá vendendo igual água“, disse o dono da Edmundo Bar e Distribuidora, José Aedson Costa. Ele conta que a procura pelo produto aumentou muito. 
 
“Desde de segunda passada as vendas de água aumentaram, tá até faltando. Acho que fábrica não tá dando conta de engarrafar. Eu vendo mais para ambulante, dá dando uns 100 fardos por dia”, disse.
 
Segundo José, cada fardo tem 12 garrafas de 510ml. “Às vezes, uma pessoa só compra 15 fardos. Cada fardo vem com 12 garrafas, isso dá, mais ou menos, seis litros em cada. Não tem muito lucro, mas a venda aumentou bastante”. 
 
A distribuidora está no Centro de BH e, com a reabertura do comércio, as vendas foram melhorando. “Estava vendendo pouco por dia, não tinha ninguém na rua, né. Agora, por causa do calor e com tudo aberto, voltamos a vender. O lucro tá melhor do que antes e acho que agora a água vai ser a mais vendida até o carnaval”, disse José Aedson. 
 
No Bairro Caiçara a demanda da distribuidora Oásis Bebidas é diferente. Por dia, as maiores entregas ficam por conta dos galões de 20 litros, mais usados para consumo nas casas. “Essa semana foi mais pesada, o pessoal pediu o galão com mais frequência, cerca de três dias”, explica a auxiliar administrativo do local, Mônica Nataly. 
 
“O pessoal já tem o galão, porque é retornável, ele é R$ 12. Também entregamos água em copo, mas ela sai menos, geralmente para eventos. Hoje foram 10 caixas, normalmente são só cinco, mas como as festas voltaram, temos recebido mais pedidos”, disse.
 
Segundo Mônica, há cerca de 10 dias os pedidos começaram a aumentar e os buffets de festa estão pedindo a mesma quantidade de água e refrigerante, uma cena incomum para a distribuidora. “O pessoal tem pedido a mesma quantidade de água e refrigerante, normalmente é mais refri. Mas estão consumindo tudo”. 
 
O vendedor ambulante Robson Gonçalves Meireles também notou o aumento das vendas de água no sinal. Apesar de ter outros produtos, o que mais tem saído é a garrafinha, que custa R$ 2. Por dia, são mais de 50 garrafas e seu lucro fica em torno dos R$ 100. 
 
Um diferencial nas vendas de Robson são seus conselhos de consumo consciente. Ele tem parentes que moram próximos do município de Furnas e sabe que o Lago de Furnas está em níveis críticos. Por isso, durante as vendas, ele aconselha os clientes a não desperdiçarem água nas tarefas diárias. 

Manter-se hidratado é importante

Neste período a vontade de beber água é maior e necessária para não desidratar, segundo a nutricionista Bárbara Meirelles. “De fato a gente tem uma necessidade maior de ingestão de água neste período, porque com o aumento da temperatura, consequentemente aumenta a nossa temperatura corporal”, explica.
 
“Pode reparar que a gente sua muito mais no calor do que no inverno, aí essa perda de líquido pelo suor é preciso ser reposta de alguma forma. Essa reposição acontece através da ingestão de água mesmo”.
 
Entre os sinais de desidratação, a nutricionista destaca alguns principais. Veja:
  • Inchaço nas pernas; 
  • Urina concentrada- amarela e com odor forte;
  • Sentir sede e boca seca
    “Muita gente acha que não, mas o fato de sentir tanta sede, quer dizer que a pessoa já pode estar desidratando”, explica.
  • Dor atrás dos olhos;
  • Enxaqueca;
  • Fadiga ao longo do dia.
Apesar da sensação de beber uma água gelada, a temperatura do líquido não faz diferença para a hidratação. “Depois ‘lá dentro’, no corpo, a temperatura se normaliza. A questão do gelado é que traz uma sensação de frescor. Uma água gelada parece que mata mais a sede, mas de forma técnica, tomar água em temperatura ambiente ou gelada, o processo de hidratação vai acontecer da mesma forma”, explica Bárbara.
 
Para saber quantos litros de água são necessários para cada corpo, a nutricionista ensina uma regra. “Aquela marca de dois litros diários é uma recomendação geral, que acabou ficando muito na cabeça das pessoas. Mas, às vezes, dois é suficiente para uma pessoa e não para outra. Uma regrinha que auxilia as pessoas a tomar a quantidade correta é a seguinte: 0,035 multiplicado pelo seu peso corporal”. 
 
REGRA PARA CALCULAR A QUANTIDADE DE ÁGUA NECESSÁRIA NO SEU DIA:
  • 0,035 x seu peso corporal

Dicas para beber mais água

Para aqueles que enfrentam dificuldades na ingestão correta de água, Meirelles deixa algumas dicas. Confira:
  • Andar com uma garrafinha de água
“Saiu na rua, leva uma garrafinha de água na bolsa, porque se a gente não tem água, não bebemos”.
  • Deixar um copo com água próximo em casa ou no trabalho
“Em casa ou serviço é bom deixar um copo próximo, porque se você tem a vista, acaba bebendo até sem perceber e no final do dia, já bebeu bastante água”
  • Colocar lembretes no celular
“Para as pessoas que não lembram de jeito nenhum, colocar um alarme a cada duas horas para lembrar de beber um copo d’água ajuda”
  • Água saborizada
“Tem gente que prefere água com sabor. Pode colocar com limão, por exemplo, ou água com gás”, finaliza a nutricionista.
 
*Estagiária sob supervisão do subeditor Eduardo Oliveira
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.