Governo de São Paulo dá “péssimo exemplo”, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro criticou o governo de São Paulo por aumentar impostos durante a pandemia. “Tem 1 Estado que aumentou imposto no Brasil: São Paulo. Aumentou barbaramente produtos da cesta básica, lamentavelmente, e está cobrando imposto até do cara com deficiência que compra carro. Uma barbaridade”, disse a apoiadores nesta 3ª feira (27.out.2020).

Nós [do governo federal], sim, fizemos o que tinha que fazer, não aumentamos imposto, muito pelo contrário”, afirmou o chefe do Executivo, ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes. O presidente citou o auxílio emergencial, o socorro a pequenas e microempresas e a rolagem de dívidas como medidas bem-sucedidas. São Paulo dá “péssimo exemplo”, emendou.

Em nota publicada em 16 de outubro, o governo de São Paulo negou que haverá aumento de imposto da cesta básica de alimentos e remédios. “A Lei 17.293/20, que prevê ajustes fiscais e modernização e enxugamento da máquina pública, publicada nessa 6ª feira (16) no Diário Oficial do Estado, prevê a redução linear de 20% dos benefícios fiscais relacionados ao ICMS”, diz o texto.

Um dos visitantes do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, elogiou Guedes a Bolsonaro. O presidente brincou: “Até que enfim encontrei alguém para te elogiar”. Logo depois, o chefe do Executivo disse que a economia dá sinais de que está reagindo bem. O ministro concordou: “Economia está voltando em ´V´, como achamos que ia voltar”.

Bolsonaro conversou com os apoiadores antes de participar da reunião do Conselho de Governo. O chefe do Executivo assistiu ao hasteamento da bandeira e não falou com jornalistas.

Na conversa com sua base, Bolsonaro ainda criticou o governo do Maranhão, que tem à frente Flávio Dino (PC do B). “Tem que tirar o PC do B de lá, pelo amor de Deus. Só aqui no Brasil mesmo comunista falando que é democrático”.

Almirante Rocha

O secretário especial de Assuntos Estratégicos, almirante Flávio Augusto Viana Rocha –conhecido no governo como “Almirante Rocha”–, posou ao lado dos ministros em frente à residência oficial do presidente.

Rocha é cotado para assumir a Secretaria Geral da Presidência, ocupada pelo ministro Jorge Oliveira, indicado do presidente Jair Bolsonaro para uma cadeira no TCU (Tribunal de Contas da União).

Jorge deve substituir o ministro José Múcio Monteiro, que anunciou sua aposentadoria. Múcio fica no TCU até o fim de dezembro. O Tribunal de Contas da União é 1 órgão de fiscalização das contas públicas.

RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me
YOUTUBE
Leitores On Line