Polícia prende mais de 50 em protesto contra o racismo nos EUA

Manifestantes voltaram às ruas de Portland, nos Estados Unidos, neste sábado (5) e jogaram pedras e bombas contra a polícia, que fez mais de 50 prisões e usou gás lacrimogêneo no 100º dia de manifestações na cidade de Oregon contra o racismo e a brutalidade policial.

A polícia descreveu o que chamou de “conduta violenta e tumultuada” dos manifestantes.

Uma das bombas incendiou um membro da comunidade e ele foi levado ao hospital, disse a polícia de Portland em um comunicado, acrescentando que um sargento também foi atingido por fogos de artifício comerciais que feriram sua mão.

“Bombas de incêndio foram lançadas contra policiais, ferindo pelo menos um membro da comunidade”, disse a polícia anteriormente no Twitter, enquanto compartilhava um vídeo postado por um repórter do New York Times mostrando bombas de incêndio sendo jogadas e um manifestante correndo com as pernas em chamas.

Leia mais: Breonna Taylor, a vítima da polícia na própria casa que inspirou campanha por justiça

A polícia disse que os policiais usaram gás lacrimogêneo, entre outras medidas de controle da multidão, para dispersar o grupo, que o jornal Oregonian estimou em cerca de 400 pessoas.

Portland tem visto protestos noturnos por mais de três meses que às vezes se transformam em confrontos violentos entre manifestantes e policiais, bem como entre grupos de direita e esquerda.

Manifestações começaram nos Estados Unidos após a morte em maio de George Floyd, um homem negro, depois que um policial de Minneapolis ajoelhou-se em seu pescoço por quase nove minutos.

O presidente Donald Trump assinou um memorando na quarta-feira que ameaça cortar o financiamento federal para cidades “sem lei”, incluindo Portland. Seu adversário democrata na eleição presidencial de 3 de novembro, Joe Biden, acusou Trump de alimentar a violência com sua retórica.

RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me
YOUTUBE
Leitores On Line